O ano passado foi cheio de medos, incertezas, reviravoltas e todos esperavam que 2021 fosse diferente, mas já percebemos que será outro ano de muitos desafios, visto que os casos e mortes só aumentaram. No entanto, é imprescindível que a educação seja vista como um assunto urgente e sério, que precisa de planejamento para definir a melhor forma de seguir com a aprendizagem.

Como grande parte das escolas permanece fechada, é preciso unir forças para que o ensino híbrido funcione e seja efetivo para driblar a defasagem herdada por 2020. Existem alguns modelos de aprendizagem da metodologia híbrida que funcionam muito bem com o momento que vivemos. Confira abaixo os melhores modelos para que o ensino híbrido funcione satisfatoriamente.

1. Continuum curricular

Essa é uma das maiores apostas para diminuir os danos causados pela pandemia na educação. O objetivo é passar as habilidades de dois anos em um, ou seja, é a continuidade dada ao ano letivo, mesmo quando o ano civil termina. Nesse caso, não existe uma ruptura de aprendizagem de um ano para o outro, independente se será presencial ou remoto.

2. Aprendizagem personalizada

De todas, essa é a alternativa mais individualizada, pois possibilita dar atenção às necessidades individuais de cada aluno, analisando caso a caso e respeitando o tempo de aprendizagem de cada um.

3. Reforço escolar

Já utilizado em outras épocas, o reforço escolar é uma estratégia extremamente útil e necessária. Essa alternativa já começou a ser executada em 2020 por algumas escolas e deve estar integrada a outras, ou seja, usada como aliada no modelo escolhido pela escola.

4. Grupos de interesse por sala

 O objetivo desse modelo educacional é organizar os pares para que seja possível aliar interesse e necessidade, como um aluno com mais facilidade com outro que está iniciando. Os grupos de interesse podem ser utilizados combinados à outras estratégias para um melhor resultado.

3 práticas para aplicar em sala

Alguns colégios abriram suas portas por algum tempo, mas logo foram obrigados a fechar devido ao aumento expressivo no número de casos de covid-19. Ainda que a promessa de um retorno pareça cada vez mais distante, para ajudar professores, quando for possível a retomada das atividades em sala de aula, separamos três modelos de aplicação que podem ser utilizados após o diagnóstico do nível da turma.

1. Sala de aula invertida: nesse método os alunos recebem as atividades ou assistem as aulas em casa e, no encontro presencial, recebem uma explicação mais detalhada, tiram dúvidas e fazem algumas atividades.

2. Rotação por estações: esse modelo consiste em dividir a sala em estações, cada uma com atividades diferentes. Os alunos devem passar pelas as estações para que possam experimentar as diferentes formas de aprender.

3. Rotação individual: semelhante ao modelo anterior, neste os alunos possuem roteiros individuais e não necessariamente passarão por todas as estações, mas pelas que fazem sentido para o seu aprendizado e roteiro definido pelo professor.

Faça uma análise cuidadosa do diagnóstico realizado no final de 2020 e avalie qual é o modelo que mais faz sentido na sua turma.