A pandemia de covid-19 trouxe desafios além do esperado, não bastou ficar em casa e usar máscara. Ela trouxe o isolamento, fechamento de serviços não essenciais e das escolas. Muitos professores escolheram seguir a modalidade de ensino a distância, porém, em 2020 todos os educadores foram obrigados a se reinventar para continuar com as aulas durante a pandemia do novo corona vírus.

Listamos alguns desafios que os educadores enfrentam durante o ensino remoto.

1.     Interação com os alunos:
Mesmo com as salas de aula online, alguns profissionais ainda têm dificuldades em trabalhar com a interação on-line. Seja pela dificuldade de “encaixar” a fala com os comentários dos estudantes, ruídos de comunicação e outros fatores. O mais importante é mostrar para os seus alunos que eles estão sendo ouvidos, mesmo que a distância.

2.     Inadimplência:
Esse é um dos motivos que leva a evasão, que no ensino remoto prejudica os professores e o curso tanto quanto o aluno. É preciso manter uma conversa e alinhar as expectativas com os alunos e/ou responsáveis. Muitas vezes o motivo da inadimplência é a desmotivação e insatisfação com as aulas. Tente conversar abertamente com pais e alunos, vejam formas de melhorar as novas rotinas escolares, tentar alinhar o que é e o que não é possível com a pandemia. Lembrem-se que esse é um momento único e muito delicado.

3.   Falta de dedicação:
A falta de empenho e até o abandono de matérias é um dos principais desafios. A motivação e dedicação dos professores está relacionada a aceitação e evolução dos alunos naquela matéria. Uma forma legal de oferecer um extra, é o suporte e dúvidas pelas redes sociais, assim você garante um contato mais próximo com seus alunos e consegue “sentir” como suas aulas estão sendo entendidas pelos alunos.


A pandemia forçou o distanciamento social e a aplicação do ensino remoto “esfriou” um pouco a relação entre professores e alunos. Com isso surge o a pergunta: como humanizar o ensino à distância sem quebrar o distanciamento? Apenas aulas online ou vídeos repassando os conteúdos podem não ser suficientes, é preciso individualizar e humanizar o ensino remoto. Crie oportunidades de diálogo! A interação social é importante para manter as relações afetivas, além de auxiliar muito o pensamento crítico. Duas coisas podem ajudar a manter essa proximidade. Uma possibilidade é realizar encontros periódicos com seus alunos em plataformas como Google Meet, Zoom e Skype. Reuniões assim, ajudam a manter o diálogo com a classe.


Outra possibilidade é marcar encontros on-line com menos alunos, para que o diálogo flua com menos interrupções e, dessa forma, seja possível dar atenção individualizada para os alunos. Fóruns e grupos de discussão nas redes sociais também podem ajudar a quebrar um pouco da formalidade da “aula oficial”. Em grupos como esses podem surgir dúvidas e reflexões interessantes sobre os temas abordados em aula.


Ofereça algumas horas da semana para dar suporte aos alunos que mostrarem a necessidade de conversar ou tirar dúvidas sobre as aulas e materiais enviados. Mas antes de tudo, é preciso garantir que os professores também tenham uma rede de apoio para conversar sempre que necessário.

Como prender a atenção dos alunos na aula online?


Essa é uma pergunta que pais têm feito sobre as aulas remotas. Como é que os professores conseguem um feito como esse? Bom, existem algumas maneiras de conseguir um pouco mais de atenção e dedicação dos alunos, mas para isso é preciso entender a faixa etária e o nível de interesse dos alunos. Para alunos da Educação Infantil é preciso ser criativo. Crianças dispersam a atenção muito rápido, ainda mais estando em casa, com televisão, brinquedos, videogame. Utilize vídeos, animações, jogos virtuais e outros recursos que aumentam a interatividade com o aluno.

Já para crianças um pouco maiores, no ensino fundamental é preciso encorajar a participação, faça com que os alunos se sintam à vontade para interagir. Caso você esteja ministrando aulas gravadas, disponibilize um canal para troca de informações, dúvidas e questionamentos. Elogie sempre que possível estabeleça momentos de conversas e troca de informações.  

Alunos do ensino médio devem ser questionados sobre o que foi ensinado. Nessa fase iniciam-se os preparativos para o vestibular. Contextualize o assunto com a atualidade, leve questões de vestibulares passados e instigue a participação.