O ano de 2020 já deixou sua marca na história, na qual parou setores econômicos por longos períodos, forçou a reinvenção e o exercício da resiliência. Com o fechamento das escolas, no início do ano, alunos, pais e professores foram forçados a se adaptar a uma nova rotina, novas ferramentas de ensino e uma nova forma de convívio com amigos e professores.


A volta às aulas pode proporcionar um desafio ainda maior: como reintroduzir os alunos em um ambiente escolar cheio de regras? Como tornar essa reintrodução mais tranquila? Esse é um assunto muito discutido em grupos pais, como ajudar as crianças a passar por mais uma transição sem comprometer o desenvolvimento. Confira as dicas abaixo:


1. Individualize sempre que possível:
Entenda que uma criança não é igual à outra, é preciso levar isso em consideração. Seu filho pode ter mais ou menos facilidade no retorno. Reconheças as dificuldades dele e converse com os professores para dar suporte no retorno.


2. Observe e escute:
Muitas crianças ficaram emocionalmente abaladas com a pandemia é preciso atenção aos detalhes para perceber os sinais. Observe o comportamento das crianças, mudanças de humor que duram alguns dias, apatia, ganho ou perda de peso expressivas e explosões emocionais.


3. Peça e ofereça ajuda:
Você já deve ter ouvido o termo “rede de apoio”, são pessoas que dão suporte umas as outras. Nesse momento de retorno às aulas presenciais, cerque-se de pessoas que entendam e apoiem o retorno às atividades escolares, sejam eles professores, colaboradores, avós, tios, pais de colegas de classe e quem mais achar necessário. Peça ajuda sempre que necessário, ter dificuldade é normal! Lembre-se, você também pode ser o apoio de uma criança.

Leia também:
O impacto da pandemia sobre a educação no Brasil
Como cuidar da saúde emocional dos seus filhos
Boas práticas que devemos manter depois que a pandemia acabar


4. Estojo da calma:
Com tempo estendido dentro de casa, algumas crianças podem ter se apegado ainda mais à figura dos pais e voltar para a escola pode gerar estresse e ansiedade. Uma alternativa é preparar diariamente um estojo ou sacola com itens que ajude a criança a ficar tranquila. Vale cartelas de adesivos, fotos, bilhetes escritos para os pais, ou mesmo um objeto que normalmente tranquiliza nos momentos de mais ansiedade.


5. Conecte-se com a escola:
Nada melhor que um bom relacionamento entre os pais e a escola dos filhos, ainda mais em tempos de pandemia. Converse com a escola sobre as dificuldades e anseios, tanto suas quanto da criança, fale sobre as expectativas e os cuidados que estão sendo tomados. O diálogo é a melhor forma de resolver qualquer assunto.